Author Topic: Juiz se recusa a anular acusação de ajuda ao inimigo contra Manning  (Read 1425 times)

0 Members and 1 Guest are viewing this topic.

Offline mayya

  • Administrator
  • *****
  • Posts: 7874
Disclaimer : This article has been translated by a volunteer translator.  Neither WikiLeaks nor The WikiLeaks Discussion Forum shall be held accountable for errors.  The reader is welcome to check him/herself the original source linked below, and to comment if there is an error or misinterpretation.  If an error is identified we shall endeavour to correct it.

 "Este artigo foi traduzido por um tradutor voluntário. Nem a WikiLeaks, nem o Fórum de Discussão do WikiLeaks será responsabilizado por erros. O leitor é bem-vindo para verificar por si mesmo a fonte original no link abaixo e comentar se há um erro ou interpretação errônea. Se um erro for identificado nos esforçaremos para corrigi-lo."

Translated by : guido fawks

Forum link: http://www.wikileaks-forum.com/index.php?topic=20605.msg49731#msg49731
Original link: http://rt.com/usa/manning-judge-aiding-enemy-denied-266/

Juiz se recusa a anular acusação de ajuda ao inimigo contra Manning

Obter URL curta

Hora da publicação: 18 de julho de 2013 14:10
 Hora da Edição: 19 de julho de 2013 13:46 
 


As pessoas se reúnem em 01 de junho de 2013 durante uma manifestação em apoio ao denunciante Wikileaks Recruta do Exército dos EUA Bradley Manning em Fort Meade,  Maryland (Foto: AFP)

Tags
 Exército  ,  Tribunal  ,  Crime  ,  Terrorismo  ,  EUA  ,  WikiLeaks 

O Soldado do Exército de primeira classe Bradley Manning continuará a ser julgado por ajudar o inimigo, um juiz militar decidiu quinta-feira de manhã, deixando em aberto a possibilidade de prisão perpétua para a fonte confessa de um importante vazamento de informações.
Apesar de uma tentativa da defesa de conseguir a anulação da acusação mais grave  contra o Soldado Manning, a Coronel Denise Lind  decidiu  em um tribunal de Ft. Meade, Maryland no início da quinta-feira que o ex-analista de informações do Exército continuará a ser julgados por ajudar o inimigo.

 OLHO: Juiz nega petição para considerar Bradley Manning inocente da acusação de "ajudar o inimigo"
 - Liz Wahl (@ lizwahl)  18 julho de 2013 


Promotores de justiça do governo dizem que Manning, 25, indiretamente ajudou a  al-Qaeda na Península Arábica, compartilhando centenas de milhares de documentos classificados com o site WikiLeaks de combate aos segredos no final de 2009 e início de 2010. Em fevereiro deste ano, Manning admitiu o que foi chamado de o maior vazamento de informações da história dos EUA, e se declarou culpado de 10 crimes menos graves, na esperança de receber uma sentença mais leve quando sua corte marcial militar se encerrar  no final deste verão.
 Quando o Ministério Público  encerrou  seu caso no início deste mês, o advogado de defesa David Coombs interpôs embargos pedindo ao tribunal que anulasse a acusação de ajudar o inimigo e outra acusação contra Manning de que ele violou a seção 1030 da Lei federal de Abuso e Fraudes de Computador ao colaborar com a WikiLeaks.



"[H]á uma "ausência de algumas evidências que, juntamente com todas as inferências razoáveis e presunções aplicáveis, poderiam razoavelmente tender a estabelecer todos os elementos essenciais de um crime imputado", disse Coombs ao tribunal.

Assim, com a rejeição da moção de Lind na manhã de quinta-feira, Manning continuará a ser julgado por ambas as acusações e cerca de 20 outras.

A defesa convocou 10 testemunhas na semana passada em apenas  três dias  antes de encerrar seu trabalho. Em seguida, o governo começará seu caso de refutação e, em breve, começará a fase de sentença da corte marcial. Mas, apesar de a Coronel Lind ter-se recusado a conceder o pedido da defesa de anular a mais grave das acusações, ela pode mais tarde no julgamento escolher considerar  Manning inocente de ajudar o inimigo.

Na semana passada, Coombs convocou o professor de Direito de Harvard, Yochai Benkler ao banco de testemunhas, a fim de  testemunhar  sobre o papel da WikiLeaks no jornalismo do século XXI. Na esteira de o governo retratar a WikiLeaks como uma organização que facilita os esforços de grupos terroristas, Benkler alertou que um julgamento culpado de ajudar o inimigo poderia ter importantes repercussões no mundo da comunicação.

Benkler disse a Lind que " o custo de considerar o Soldado Manning culpado de ajudar o inimigo imporia  "Um fardo pesado demais  a"  disposição das pessoas de boa consciência, mas não infinita coragem de dar um passo à frente" e "minaria gravemente a maneira pela qual o jornalismo investigativo baseado em denúncias vem funcionando na tradição da liberdade de imprensa nos Estados Unidos ".

 "[  S] e entregar materiais a uma organização que pode ser lido por qualquer pessoa por meio de uma conexão de internet, significar que você [os] está entregando ao inimigo - isso significa, essencialmente, que qualquer denúncia a uma organização de mídia que possa ser lida por qualquer inimigo em qualquer parte do mundo, torna-se automaticamente auxiliar o inimigo ", disse Benkler.

 " Todo o argumento do governo parece basear-se na criação da WikiLeaks como uma organização ruim ", insistiu Coombs.
Julian Assange, o australiano fundador da WikiLeaks disse em uma teleconferência a RT no mês passado que " De forma ampla, o caso estabelece um precedente de que a publicação de informações relacionadas à segurança nacional sobre os Estados Unidos é espionagem  ".

A jornalista Alexa O'Brien twittou de Ft. Meade na quinta-feira que, se for condenado por todas as acusações, de Soldado Manning poderia receber uma sentença de 154 anos a perpétua. As acusações menores ou incluídas pelas quais ele se declarou culpado no início deste ano acarretariam em um máximo de apenas 20 anos.

Isso significa que Manning está exposto a 154 anos (não 149 anos), mais prisão perpétua.  # Manning
 - Alexa O'Brien (@ carwinb)  18 julho de 2013 

« Last Edit: July 23, 2013, 23:57:42 PM by mayya »